Padrão FIFA (só que não)

No dia em que o futebol maringaense voltou a sorrir, com mais de 5000 pessoas no Willie Davids prestigiando a ascensão do Metropolitano para a elite do Paraná, não podemos fechar os olhos para os problemas que os torcedores enfrentaram no estádio.

Para começar, os portões só foram abertos às 18h30, ou seja, uma hora antes da partida. Com público recorde, muitos só conseguiram entrar no WD quando a bola já estava rolando. Faltou organização e bom senso para a diretoria do Metrô.

No intervalo, quem assistiu o jogo na arquibancada descoberta (como este que vos escreve) teve que encarar o novo banheiro do estádio. Quem foi o gênio que planejou aquilo? Certamente nunca pisou em um campo de futebol. Uma boa quantidade de dinheiro público torrado em um cubículo inadequado para a presença de milhares de torcedores. Com certeza, diante do que ocorreu ontem, vai precisar de uma nova reforma.

Esperamos que os erros de ontem sirvam de lição para a Prefeitura de Maringá (que administra o WD) e o Metropolitano. O maringaense ama o futebol e certamente irá prestigiar o clube na primeirona, mas exige o mínimo de respeito quando vai ao estádio. Do contrário, é melhor aguentar a narração do Jasson Goulart na RPC.