Sobe/Desce

AtletismoPista de atletismo do Willie Davids recebe certificação internacional

!

Mensagem subliminar. Anuncie aqui!

FutebolWillie Davids continua em reformas para receber jogos de futebol

Anúncios

Leiria vs. Maringá

Acredito que o confronto do título nunca tenha ocorrido em campo — mas é boa sugestão de amistoso para quando uma boa equipe local aparecer. Leiria (Portugal), como cidade-irmã mais velha, dá uma boa lição para Maringá sobre o que deve ser um estádio de futebol (e todos sabem como irmãos mais velhos são bons em dar conselhos).

O Estádio Municipal de Leiria “Dr. Magalhães Pessoa”, casa da União Desportiva de Leiria, foi construído nos anos 1960, tendo recebido o nome de seu idealizador. Em 2003, passou por intensa reforma, com projeto assinado pelo arq. Tomás Taveira — o mesmo responsável pelo novo Palestra Itália (!) — ao custo de 20 milhões de euros, tornando-se um verdadeiro complexo esportivo e cultural. A capacidade é de cerca de 23 mil torcedores, podendo ser aumentada para até 30 mil.

A inauguração foi feita com o amistoso Portugal 8×0 Kuwait. De lá para cá, eventos realizados por lá incluem, pela Eurocopa 2004,  os jogos Suíça 0x0 Croácia, em 13 de junho, e Croácia 2×2 França, em 17 de junho, e shows da Daniela Mercury, em 2006, e de Martinho da Vila, em 2006 e 2008. Minhas lembranças do Willie Davids incluem apenas dois shows de Sandy e Jr. e Paraná 1×3 Palmeiras, em 11 de setembro de 2005.

Leiria também nos dá uma lição quando se fala em preservação da memória local, como diz o site Leirisport:

A intervenção inaugurada em 2003 recuperou um espaço com o qual, ao longo de várias décadas, os leirienses desenvolveram uma identificação afectiva, por ter sido o palco da dinâmica desportiva de toda uma região. A tradição não pôs, no entanto, em causa a inovação, na medida em que o Estádio Municipal é uma infra-estrutura de características até aqui inexistentes, embora desde há muito ambicionadas pelos responsáveis municipais e, sobretudo, pela população. As soluções técnicas e estéticas adoptadas concretizam o arrojo das intenções subjacentes à intervenção.

Às vezes subestimamos a inteligência dos portugueses. Aqui, podemos aprender muito com o exemplo de nossos irmãos de Leiria.

Fotos: Wikipedia e Flickr.

Finalmente um time

Dessa vez não teve mentiras e Maringá não só tem um time, como ele já estreou.

Usando o nome da cidade e uniforme com as cores da bandeira. O time está disputando 2º Divisão da Liga A e vai mandar seus jogos no Wembley Stadium – isso até o Willie Davids ser liberado. Minanda é o destaque da equipe, o jogador experiente é o cérebro do time que conta com a juventude de Ruskin e Gutierrez.

Maringá apresenta elenco

Maringá apresenta elenco

Na estréia, Maringá jogou em sua casa temporária contra o Sparta Rotterdam e decepcionou os torcedores, que apesar da distância, lotaram o Wembley Stadium.

Maringaenses animados antes do jogo começar

Maringaenses animados antes do jogo começar

O jogo começou com Maringá melhor e,  aos 9 minutos, Jaric quase abriu o placar em cobrança de falta. Depois disso o Sparta melhorou, mas foi o time da Cidade Canção que quase abriu o placar. Em escanteio bem batido, Minanda quase marcou gol olímpico. A torcida se animou depois desse lance, mas o time começou a cair de rendimento  e no final do primeiro tempo Ivarov fez grande defesa no chute de Poepen.

No segundo tempo, repetindo o primeiro, Maringá começou melhor e levou perigo em outra falta batida por Jaric. Esse foi o último lance que levou perigo ao gol do Sparta que aos poucos começou a dominar o jogo. Nem a entrada de Gutierrez fez o time de Maringá  melhorar. E aos 83 minutos, Poepen de cabeça marcou o único gol da partida.

O próximo desafio do Maringá é contra o Portsmouth, só que agora pela Taça D2.

Mais informações da equipe maringaense no Rapidinhas.

Prometo esse time não vai acabar como os outros que já representaram a cidade. Isso só vai acontecer se meu computador pegar um vírus muito zoado. Um abraço e torçam!

Novo time

Depois de fracassar a transferência da Aereb(Engenheiro Beltrão) para Maringá, tenho uma boa notícia para os amantes do futebol dessa cidade. Um novo time está para ser formado na cidade e o melhor: sem a presença de antigos sanguessugas na direção da equipe. Ainda faltam alguns detalhes, mas está quase certo.

Mais informações em breve.

Brinco da Vila

casabrinco

Ao ver essa foto no blog do Carlão, me lembrei dos tempos em que era goleiro reserva do infantil do então Grêmio Maringá/Perfimar, em 1999 e 2000; que na época tinha o apoio do empresário Osmar Braguin, por isso o nome de sua empresa na equipe. Rafa C., duas categorias abaixo, também fazia parte do grupo de garotos.

Treinávamos e mandávamos os jogos no Brinco da Vila, e a tal casa era usada como vestiário. Na época, o estado de conservação e o cheiro já não eram muito agradáveis, e pelo relato do Carlão, após tantos anos, a coisa deve estar bem pior.

Seleção em Maringá

ingressoHá nove anos atrás, no dia 15 de janeiro de 2000, um amistoso da Seleção brasileira movimentou Maringá. Seleção essa que contava com Ronaldinho Gaúcho, Alex e o técnico estrela Wanderley Luxerburgo. Na verdade esse jogo foi uma espécie de consolo aos maringaenses que viram Londrina sediar o Torneio Pré-Olímpico. Triste? Nem tanto, a festa foi bonita.

Ficha Técnica: Brasil 4 x 1 Costa Rica.

Brasil – Sílvio; Mancini, Fábio Bilica, álvaro (Luís Alberto) e Fábio Aurélio; Baiano (Marcos Paulo), Fabiano (Adriano), Mozart (Athirson) e Alex (Edu); Ronaldinho (Warley) e Fábio Júnior (Lucas). Técnico: Wanderley Luxemburgo.

Costa Rica – Villegas; Alex Castro, Martinez, Chenchilla e Melendez (Oviedo); Calderón, Bryce, Carlos Castro e Sensena; Eskivel (Alfizar) e Rojas (Horrow). Técnico: Rolando Villalobos.

Juiz – Oscar Roberto Godói.

Cartão amarelo – Martinez.

Gols – Fábio Júnior aos 25 segundos e 43 minutos do primeiro tempo; Fábio Júnior aos 48 segundos, Sensena aos 20 e Edu aos 38 minutos do segundo.

Renda e público – Não divulgados.

Local – Estádio Willie Davids (Maringá).

Maringá na Placar

Li na coluna do Edson Lima, n’O Diário de hoje, que a revista Placar deste mês fez uma crítica a Maringá (aqui, post de ontem em seu blog — primeiro disse que revista “esculhamba” a cidade, depois mudou para “critica”, anyway). Corri atrás. De qualquer maneira, a crítica — bem fundamentada, é claro — é do sr. Altair Santos, e não da revista.

Segue uma foto do artigo para quem, como eu, não quer pagar dez reais por uma revista ou quer poupar o pulinho à banca só pra checar se é realmente verdade [edit: post do Rigon em menor resolução].

Maringá na Placar