Sede da UMES

Hoje a sede da UMES (M. Uainerrauz já passou uma noite lá) foi lavada com água e sabão — num ato mais simbólico do que propriamente “faxinal”, pois uma quiboa cumpriria melhor o serviço. De qualquer forma, é uma iniciativa para se aplaudir, a favor da família maringaense, um marco que talvez renda bons frutos.

Coincidência, hoje chegou às minhas mãos o livro Maringá: Geografia Regional, datado de fevereiro de 1964, de autoria de Renato Bernardi e ilustrações de Nelson Poppi, uma delas retratando a sede da UMES. Achei que fosse um furo, mas JC Cecílio, Oséias Miranda e a própria UMES já colocaram a imagem na internet. Nenhum deles, entretanto, faz referência à obra.

Diz Renato Bernardi, em seu livro, aos estudantes: “Você não é sócio da União Maringaense de Estudantes Secundários? Pois bem, o terreno onde está se erguendo a majestosa sede da UMES foi gentil doação da Companhia [Melhoramentos Norte do Paraná]”. Ele continua, páginas adiante: “Para congregar e defender os estudantes e seus interesses, foi fundada, em junho de 1958, uma associação de alunos de ensino médio: a União Maringaense de Estudantes Secundários. Sua fundação se deveu a um grupo de jovens entusiastas e idealistas. Possui uma bela sede, construída em parte, na Avenida Cerro Azul. A parte pronta da sede onde funciona o restaurante estudantil e a sala de expediente pode ser vista no desenho da figura nº 13”:

Fachada da sede da UMES por Nelson Poppi, em 1964

Por fim, o autor nos fala: “A Casa do Estudante Secundarista de Maringá (CESM), órgão dependente da UMES, mantém um restaurante para 100 estudantes a preços razoáveis, contando, para isso, com o auxílio municipal, em pequena quantidade e, copiosamente, com a coragem e o idealismo que sempre caracterizaram as iniciativas estudantis”.

Interessante que Rigon lembra que o professor Renato Bernardi às vezes comia no bandejão.