Maringá e a Primeira Liga

A temporada 2016 do futebol brasileiro apresentou uma novidade: a Primeira Liga. Clubes do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se organizaram de forma independente e, sem o apoio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), ressuscitaram o torneio regional que havia sido disputado entre os anos de 1999 e 2002. A Copa Sul, disputada em 1999, e a Copa Sul-Minas, que aconteceu entre os anos de 2000 e 2002, serviram como embrião da proposta. Flamengo e Fluminense, descontentes com os desmandos da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ), também abraçaram a ideia. O certame indiscutivelmente proporciona encontros mais interessantes do que o dos malfadados campeonatos estaduais. Acredita-se também que a Primeira Liga poderá ser a futura e sonhada Liga Nacional de Clubes, que teria o poder de organizar os campeonatos nacionais no lugar da CBF.

Após a leitura do primeiro parágrafo, você me pergunta: por que falar da Primeira Liga em um blog sobre Maringá? Simplesmente porque o futebol maringaense faz parte dessa história.

O glorioso Grêmio Maringá esteve presente na Copa Sul em 1999 e na Copa Sul-Minas em 2000. A vaga na Copa Sul foi conquistada com o vice-campeonato da Copa Paraná em 1998. O Galo Guerreiro perdeu a final do torneio estadual para o Atlético-PR. Por isso, garantiu vaga no primeiro torneio regional do Sul do país. Integrou o Grupo C da Primeira Fase juntamente com Atlético-PR, Avaí (SC) e Juventude (RS). A campanha foi para lá de modesta: 1 ponto em 6 partidas.

COPA SUL 1999
31/01/1999 – Grêmio Maringá 0 X 3 Juventude
04/02/1999 – Avaí 2 X 0 Grêmio Maringá
08/02/1999 – Grêmio Maringá 0 X 2 Atlético-PR
11/02/1999 – Atlético-PR 3 X 0 Grêmio Maringá
18/02/1999 – Grêmio Maringá 1 X 1 Avaí
24/02/1999 – Juventude 2 X 1 Grêmio Maringá

No segundo semestre de 1999, o alvinegro maringaense novamente fez bonito na Copa Paraná e levantou a taça de campeão. A torcida lotou o Estádio Willie Davids na partida decisiva contra o Londrina e presenciou uma vitória inesquecível por 2 a 1. O Grêmio Maringá novamente conquistou a vaga no torneio regional, que virou Sul-Minas em 2000 com as presenças de Cruzeiro, Atlético-MG e América-MG. Na Primeira Fase, o Galo compôs o Grupo C acompanhado de Cruzeiro, Coritiba e mais uma vez o Juventude de Caxias do Sul. A campanha foi um pouco melhor do que a do ano anterior: 2 pontos em 6 jogos.

COPA SUL-MINAS 2000
22/01/2000 – Coritiba 2 X 0 Grêmio Maringá
27/01/2000 – Grêmio Maringá 0 X 1 Cruzeiro
30/01/2000 – Juventude 4 X 0 Grêmio Maringá
02/02/2000 – Cruzeiro 1 X 0 Grêmio Maringá
06/02/2000 – Grêmio Maringá 1 X 1 Juventude
13/02/2000 – Grêmio Maringá 2 X 2 Coritiba

Apesar dos resultados negativos, o Galo não fez feio em 2000. Protagonizou uma bela partida contra o forte Cruzeiro no Willie Davids, pressionando o clube mineiro desde o início. Infelizmente a bola não entrou e o artilheiro Oséas marcou o único tento cruzeirense aos 45′ do segundo tempo. Já eliminado no último jogo contra o Coritiba, arrancou um empate que abreviou a passagem de Joel Santana pelo Coxa. Somando as duas participações, o Grêmio Maringá não conseguiu nenhuma vitória.

oseáscruzeiro

Grêmio Maringá 0 X 1 Cruzeiro (Copa Sul-Minas 2000)

Agora batizado de Copa Sul-Minas-Rio, seria interessante que a Primeira Liga oferecesse nas próximas edições vagas para equipes do interior melhores qualificadas nos campeonatos estaduais. Tal fórmula estava prevista para ser adotada na Copa Sul-Minas de 2003, mas o torneio foi extinto pela CBF para privilegiar o Brasileirão de pontos corridos. Se retomarem a regra em questão, o Maringá Futebol Clube – vice-campeão Paranaense em 2014 e campeão da Copa Paraná em 2015 – ficaria apto para brigar por uma vaga. Se o Grêmio Maringá voltar para a Primeira Divisão Paranaense em 2017, também. A possibilidade de disputar um torneio com gigantes do futebol nacional representaria um estímulo e tanto para os clubes maringaenses.

A Primeira Liga pode e deve combater a CBF e as federações estaduais, mas a Copa Sul-Minas-Rio ficará mais forte e atraente com critérios técnicos que permitam a presença de clubes tradicionais do interior, como Maringá, Londrina, Operário de Ponta Grossa, Caldense, Brasil de Pelotas etc. Torcemos por isso.

Anúncios

No ritmo da Copa das Confederações

Assistindo a Copa das Confederações, lembrei de um fato curioso que envolve Maringá e um dos personagens do torneio: o técnico da seleção da África do Sul, o “mister prancheta” Joel Santana. Ele não tem boas lembranças da cidade canção, pois foi aqui que teve fim a sua breve passagem pelo Coritiba, no início de 2000.

Na extinta Copa Sul Minas daquele ano, Coritiba, Cruzeiro, Juventude e Grêmio Maringá – que conquistou o direito de disputar o torneio regional após o título da Copa Paraná em 1999 – se enfrentaram na primeira fase. Na última rodada, o Coxa jogou contra o galo maringaense no Willie Davids, precisando desesperadamente da vitória para se classificar. Joel Santana já estava com a corda no pescoço.

Eu e Rafa C. fomos a esse jogo junto com o nosso pai e um colega gordinho dele, que descolou os ingressos. Era um domingo chuvoso, o falecido GEM (até então com 1 empate e 4 derrotas) já estava eliminado e o público total não passou de 1000 pessoas. No final, o empate em 2 x 2 – Nelmon e Joel marcaram para o GEM, Leandro fez os dois do Coxa – selou a desclassificação do Coritiba (O Cruzeiro foi o 1º do grupo) e um final honroso para a discreta participação do Grêmio Maringá no certame.

Após o jogo, Joel foi demitido pela diretoria coxa-branca. Nove anos depois, o simpático técnico comanda a seleção do país que no ano que vem sedia a Copa do Mundo.

SAFRICA-SOCCER/