Eu quero o povo nas ruas

Depois de assinar uma petição online a compartilhar as fotinhos contra o aumento salarial dos vereadores e ver toda a movimentação em Facebook e em blogs, só me resta uma esperança: que o povo tome as ruas, ocupe a Câmara e a Prefeitura e não arrede pé até que seja a proposta seja vetada.

Juarez Firmino sobre a união civil homossexual

No Facebook, o contador Juarez Firmino, que já foi candidato a vereador, dá sua opinião sobre a união civil homossexual:

Eu sou acadêmico de Direito, meu segundo curso superior o primeiro é de contador. E estava conversando com alguns amigos sobre a s últimas decisões do STF e do STJ, sobre o casamento Gay, a decisão não é vinculante, portanto, não vale para todos, teríamos que rasgar a constituição se um grupo de ministros pudessem decidir um assunto deste em nome de todos os brasileiros, eu não quero isto e sei de que a grande maioria não quer, FAMILIA é e sempre será a união de um homem e uma mulher para gerar filhos. Já a relação sexual, apesar de discordar, é um direito, cada tem com quem quiser. Pois para mudar as regras do casdamento cívil, tem que mudar a constituição. Se isto for aprovado, podemos dizer que a umião de um ser com seu animal de estimação também é familia, se alguém quiser constituir uma familia com uma vaquinha ou um boizinho deverá ser respeitado. Essa questão a gente não se preocupa com isso, é nquanto não chega na sua familia, como as drogas, só nos preocupamos quando tem alguém da família envolvido. Para mim este assunto casamento civil gaytem que ser decidido por prebiscito, viver juntos eles já vivem. A justiça humana pode até avalizar estes atos, mas para DEUS isto é abominação. Espero que Deputados por Maringá nunca apoiem isto na Camâra de Deputados. Em São Paulo na Asembléia Legislativa, um Deputado, criou o Dia do Orgulho Heterosexual, e um gay estava fazendo movimento contra isso na internet, ou seja, os mais preconceituosos são eles mesmos, para eles gostariam que o mundo todo fosse gay, outro fator é a propaganda e o aliciamento que redes de TV fazem com seus progrmas sempre exaltando este personagens, jamais mostram a realidade, como a que vemos na Avenida Brasil em Maringá.

Chik Jeitoso

Divertidas as previsões que o Chik Jeitoso fez para a disputa política em Maringá, no ano que vem, que o Rigon publicou aqui, aqui, aqui, aqui e aqui. O curioso é que o bruxo é pré-candidato à Prefeitura de Curitiba. Como será que ele se sente disputando algo já sabendo que vai perder?

Afirme-se

Quem nos mandou a pérola foi o Smith, o sociopata funcional.

E hoje o Rigon comentou que hoje completa 20 dias sem acidentes postagens. Nem mesmo nós percebemos, dedicados a outras atividades — infelizmente não somos blogueiros profissionais. Mas estamos vivos e bem. Obrigado!

Melhores da década: Lukas

O post tem gosto de luto e é o fim do mês do cachorro louco, aquele que, na iminência das más notícias, queremos que passe logo. Mas a pior notícia veio.

Sempre quis escrever esse post, assim como sempre quis trocar uma palavra com o Lukas, mas não fui ousado o suficiente para tal. Aqui, acompanhamos em silêncio sua batalha. A gente adia muita coisa, até que seja tarde demais.

Meu tio, há uns 15 anos, tinha um decalque do Vagauzinho no vidro do carro.  Foi aí que tomei pra mim a expressão”eu si divirto”. Meu avô comprava O Diário e eu, ainda criança, me esbaldava na coluna de domingo. Lia o jornal deitado no chão, debruçado sobre a página inteira. Até terminar o Fundamental, recortava algumas tirinhas e levava para a escola, mostrava para os colegas. Lia, relia e ria com a mesma tirada. O Lukas nos ensinou a entender a cidade com seu olhar crítico e sensível, que só tem quem já passou apertado na vida. O Marcelo Bulgarelli resgatou ontem um texto ótimo dele — “Foi um tempo ruim” –, de 2009, que pode ser lido aqui. Quem dera todos tivessem esse talento de ver beleza onde a maioria prefere ignorar.

Uma das coisas mais legais da nossa época em O Diário — onde Lukas começou a publicar no ano em que nasci — foi ter dividido algumas vezes a página com ele, quando trechos do blog eram publicados ao lado de sua tirinha diária, na página 2.

Ele é o melhor não só dessa década, mas das últimas duas últimas. Domingo que vem não tem quem amenize nossa semana e renove, a cada dia, nosso bom humor. Fábio Linjardi, há quase 6 anos, disse que Jaime Drege morreu quando nossa cidade mais precisava de humor. Maringá precisava do Lukas e não há quem o substitua. É um tempo ruim.

Maringá, Maringá recomenda: lírio e hortelã

Amiga dona de casa, rainha de seu lar: se, ao passar pela Le Lis Blanc, ali no Aspen Maringá Park e, agora, no Catuaí, você ficou encantada pela fragrância característica daquela rede de lojas, saiba que a Ingleza traz o aroma para dentro de sua casa. É o fim do reino do Pinho Sol em sua casa, que já é há muito sinônimo de decadência higiênica.

Use UAU! Limpeza Perfumada Lírio e Hortelã no banheiro e na cozinha. Seu marido vai se sentir no Palácio de Versailles.

Sabendo da importância do cheiro, o amigo universitário vai impressionar as menininhas nas festinhas na república. A amiga doméstica pode surpreender usando o produto no closet da patroa. Ela se sentirá ainda nas compras.

Expresse seu amor com lírio e hortelã!

Valter Surfistinha

O ex-chefe regional do IAP (Instituto Ambiental do Paraná) em Cascavel, Valter Pagliosa, entrou com uma ação por danos morais contra o Estado e cobra R$ 1 milhão em indenização. Ele foi demitido do órgão, em abril, após o senador Roberto Requião (PMDB) tornar pública a participação de Pagliosa no filme erótico “A Outra Metade”, rodado em 2006. Pelo Twitter, Requião disse que o governador Beto Richa (PSDB) havia nomeado um “ator pornô” para fazer parte do governo.

Pascoal Muzzelli Neto, advogado de Pagliosa, disse que seu cliente foi taxado de ator pornô sem ter feito filmes pornográficos. O filme estrelado por Pagliosa tem classificação de erótico. Ainda de acordo com o advogado, a repercussão do caso fez com que o ex-chefe do IAP virasse motivo de piadas. “Ele passou a ser chamado de Valter Surfistinha“, diz, em referência ao filme “Bruna Surfistinha”, que conta a história de uma garota de programa de luxo.

Programa Offside

Acadêmicos do curso de História da UEM apresentam, desde o mês passado, o programa Offside, na Rádio UEM FM 106,9. Eles participam do núcleo de estudos “Futebol e Sociedade”, coordenado pelo professor Fábio Viana Ribeiro. O descontraído bate papo esportivo vai ao ar todas as segundas-feiras, das 21 às 22 horas, e também pode ser ouvido pela internet.