Salamanders 2013

A banda de rock mais nojenta e vagabunda de Maringá prepara novidades para a meia dúzia de fãs que os acompanham. Aguardem!

Anúncios

Maringá completa 80 anos

A canção que deu origem ao nome de nossa cidade — e ao blog — faz oito décadas cheias em 2012. Foi em 1932 que Gastão Formenti (1894-1974) gravou a toada de Joubert de Carvalho (1900-1977). Ao longo desses 80 anos, foi cantada na voz de Carlos Galhardo, Silvio Caldas, Francisco Petrônio, Enrico Simonetti e Orquestra, Orlando Silva, Delora Bueno, Tonico e Tinoco, Inezita Barroso, Leo Marini (com e sem La Sonora Matancera), entre outros, e também pelos anônimos trabalhadores retirantes na selva norte-paranaense, na década de 1940… — reza a lenda que foi a d. Elizabeth Thomas, esposa de Arthur Thomas, então presidente da CMNP, que ouviu os trabalhadores assoviando a música e teve a sacada. A canção ainda é arrepiante, linda. Para mim, é mesmo maior do que a cidade de 350 mil habitantes que completou ontem 65 anos.

Lembrei de tudo isso agora ouvindo a ótima versão surf music feita pelos Bandidos Molhados em homenagem ao aniversário da cidade:

Saindo do ostracismo: Bob & Robison

“Condenado por amor” é a primeira faixa do primeiro disco de Bob e Robison.

A dupla, que começou a carreira em 1983, fez relativo sucesso na década de 1980 com os falsetes, mas deixou a música no auge do sucesso, chegando até a recusar convite para se apresentar no Sabadão Sertanejo (!). Seja lá o for, depois de quase duas décadas de ostracismo, já de cabelos brancos, eles voltaram, sem alongamento:

Dois discos — um sertanejo, resgatando sucessos do passado, e outro, gospel — estão disponíveis para download em seu site oficial. Não paga nada!

É a vitória da melhor idade.

Veja também: Rony e Robson.

I’ll never be your monkey wrench

Clique para ampliar

Então fomos conferir a Grunge Night, com as bandas Virginia Room e Present Tense, que tocariam Foo Fighters e Pearl Jam.

Era sexta-feira treze e eu cruzei com um gato preto.

A casa, que funciona no endereço do extinto Dezessete, antigo restaurante e lounge do ex-jogador de vôlei Ricardinho, lotou rápido. Foi assim que vários conhecidos, que já conheciam as bandas, esperaram mesmo sob a chuva, do lado de fora, por quase duas horas — fato comemorado no Facebook como comprovação do sucesso da noite.

Sucesso na esteira do anúncio de 50% de desconto para quem chegasse cedo, claro; mas a casa, inaugurada há poucos meses, tem capacidade para apenas 350 pessoas. Como proceder, então?

Até os cartões, à guisa de comanda, não foram suficientes: tiveram de tomar emprestados de uma casa noturna vizinha, na Avenida Curitiba.

Em certa altura, um dos seguranças — que mais tarde seria apresentado como gerente — gritou que apenas 50 pessoas entrariam a partir dali, já sem o bônus. Ok.

Apesar de já estar na fila já bem antes das 0h30, conseguimos entrar depois das 1h40. Pelo menos, os shows ainda não haviam começado.

E, apesar de ter sido anunciada a entrada de 20 reais para os garotos e 10 reais para as meninas, cobraram 40 reais — e já sem a distinção de gênero. Bem além do que fora divulgado.

Uma funcionária, questionada sobre o preço, de maneira bem ríspida, disse que era “regra da casa”. Se eu entrei, é porque concordava. Ok. Perguntamos seu nome, que se negou a dizer. Foi então que o gerente — que trabalhava como segurança — apareceu, revelou o nome da moça, esclareceu que não poderia fazer nada, pediu desculpas e gentilmente nos colocou para fora. A finesse de todo segurança, pago para garantir a razão dos donos e apaziguar qualquer problema.

Flávio, leitor do blog e amigo, formado em Educação Física, enquanto dividia a fila — e a chuva –, lembrava de um ex-professor que dizia que, nas regras de um jogo, “o que não é proibido, é permitido”.

Ele também pagou além do que pretendia, antes de aprender as regras da casa.

Ainda bem que podemos escolher onde jogar. Ali, nunca mais.

Os shows foram bons como sabíamos que seria. A Virginia Room, que nada tem a ver com a história, vai tocar novamente no mesmo local na próxima sexta. A Present Tense, apesar de prejudicada por um cabo de microfone teimoso do vocalista Nelson Cancini, que insistia em não funcionar, conseguiu improvisar e tirar de letra. Ótimos, como sempre. Rock limpo e honesto, como tudo deveria ser. Mas não é.

Criolo e Seresteiro cantam Expresso Maringá

No mesmo ano em que nasceu o rapper Criolo, outro Criolo, em parceria com Seresteiro, lançavam o disco “Expresso Maringá”, cuja canção título resgatamos no vídeo abaixo.

Há poucas informações sobre a dupla.

Programa de índio

Sábado à noite, fui com a minha namorada ao show de uma banda de rock nacionalmente conhecida e outra de um país vizinho. O evento, organizado por aquele porco espinho azul e uma renomada rádio FM, foi em um cubículo localizado na Avenida Curitiba. Antes de entrar no recinto, é claro, rolou a tradicional fila de uma hora. Não estou exagerando: uma hora cravada esperando. Isso porque compramos convites antecipados.

O bar, apesar de cheio de grife, é apertado. Difícil se locomover sem trombar em corpos alheios. Mas como quem está na chuva é pra se molhar, bóra curtir o som e tomar umas. Long neck de Skol e Brahma (porra, não tem Antarctica!): R$4,50, Bohemia e Stella Artois (uma bosta!): R$ 5,50. Os cardápios disponíveis constavam que o preço era R$ 5,00 para as duas últimas. Só descobri o acréscimo de 50 centavos quando paguei a conta.

Uma cena hilária que merece ser registrada: durante a compra de uma cerveja, o cara que estava na minha frente se enrolou com o cartão, e ouviu do atendente: “Porra, cara, vai logo com isso!”. O cliente disse: “Ué, tá mal humorado?”. O barman respondeu: “Claro que estou, olha o tanto de gente que tem aí”. Após observar a pequena discussão, pedi a minha long neck de maneira bem eficiente, para não irritá-lo também.

Sobre os shows, nada a reclamar. As duas mandaram um som de primeira. Saímos pouco antes de terminar a segunda apresentação, da banda nacional, porque a namorada estava cansada e para evitar outra fila no caixa. De lá, levamos duas lições: nunca mais voltar ao recinto e pensar duas vezes antes de prestigiar um projeto patrocinado por esses que pouco valorizam as bandas de Maringá e, obviamente, encaram o rock´n roll somente como negó$$io.

Índio rockeiro desapontado com tamanho da fila e preço da cerveja.

Concurso de bandas com lingerie

De Andye Iore:

“Pelo jeito que a coisa anda, daqui a poucos teremos mais bobagens para as bandas de Maringá. Como se não bastasse a votação idiota que nunca reflete o que rola de verdade na cidade e também desrespeita quem não concorda em participar, agora temos uma Batalha de Bandas.

Isso mesmo, enquanto muita gente se esforça para criar uma camaradagem entre as bandas, fazer com que os músicos freqüentem os shows de outras bandas e role uma ajuda mútua, por outro lado pessoas incentivam a disputa entre bandas. Pior: cobrando para isso. E um valor considerável para bandas que, geralmente, são durangas e mal tem grana para divulgar seu próprio trabalho”.

(mais…)

 

Cash in Flowers na TV

O Cash in Flowers fez sua primeira aparição na televisão. A banda se apresentou sábado (30/07) no programa “Show de Bola”, da Rede Massa/SBT.

Em breve, o Cash lançará um álbum com onze músicas inéditas. Para ouvir o single “Kill Me“, basta clicar aqui.

Cash in Flowers lança CD

Depois de quase 3 anos compondo, produzindo e gravando seu novo disco, a banda maringaense Cash in Flowers vai lançar um single com uma das diversas músicas inéditas do seu novo álbum. O lançamento oficial acontecerá durante o próximo sábado (30/07) pela internet, através do Facebook e Twitter da banda. Os internautas ainda poderão continuar acompanhando todas as novidades do pré-lançamento do novo disco, que vai contar com aproximadamente 11 canções da banda, pelo Twitter.

A banda existe desde 2007, e conta com Nelson Cancini nos vocais, Maycon Milani e Diogo Gomes nas guitarras, Fernando Fávaro no contrabaixo e Paulo Roques na bateria. O lançamento da banda tem produção musical de Murilo Gusso, que já é parceiro da banda desde o início do projeto.

O blog, que sempre acompanhou a trajetória dos caras, torce pelo sucesso. 

A boa do fim de semana

O festival Paraíso do Rock agita mais uma vez a aprazível Paraíso do Norte (a 70 km de Maringá) neste fim de semana:

E hoje, no MPB Bar, tem Cash in Flowers “fazendo cover de Pearl Jam com as vísceras”. Confira na matéria do Alexandre Gaioto.

Ajude o Pub Fiction a não fechar

No Facebook, o Natan, proprietário do Pub Fiction, dá o recado:

“É o seguinte, como uma ultima alternativa to apostando nos open destilados, tem dado certo, se continuar dando certo não precisarei vender o bar.

Então por favor galera que curte o pub, o ambiente, o som, o espaço que dou para bandas em mga e pra galera beber a vontade, tão a vontade que pode ate escreve o seu nome na parede hehe

Não gostaria que o pub fechasse? ajude como puder que talvez ficaremos abertos nesse momento de crise pro bar =)

Só ajudando a divulgar, ja estara ajudando MTO!”

O blog faz a sua parte para ajudar o Natan. A balada de hoje é:

Crazy Legs

Apesar da banda Crazy Legs ter 15 anos de vida e já ter lançado cinco discos, vai tocar pela primeira vez em Maringá e Londrina. Os shows desse final de semana trazem para o interior do Paraná uma das principais bandas do cenário independente brasileiro e com reconhecimento no exterior. Batemos um papo com o baterista e compositor McCoy para sabermos a expectativa da banda para esses shows e algumas novidades como o próximo disco:

ZOMBILLY – Depois de 15 anos e tantas dificuldades no meio independente o que ainda motiva vocês a continuar tocando?
McCOY – O que mais nos motiva a continuar tocando é justamente o reconhecimento e a receptividade dos mais diversos tipos de público por onde passamos, seja aqui no Brasil ou exterior. Outra coisa muito gratificante é ver as pessoas cantando junto as músicas da banda nos shows. Alegrar as pessoas não tem preço!

(leia mais no Zombilly)

Falta de incentivo aos artistas

Diogo Gomes mete bronca no Twitter:

“Tenho visto muita coisa boa na música e na arte em geral de produção independente em Maringá. Quando será que a prefeitura e nossos vereadores vão assumir uma posição de incentivo a esses artistas? Que desgosto ter que se contentar com o FEMUCIC”.

O mito! A lenda! O fenômeno! Ou apenas, Luan Santana!

Não é a Pitty e o D2, nem o Roupa Nova e muito menos Chitãozinho e Xororó. A grande atração da Expoingá 2010 é o ídolo teen e o homem dos sonhos de milhões de adoslescentes retardadas desse Brasil, Luan Santana.

Ele que nasceu em Campo Grande, no Mato Groso do Sul, e já morou em Maringá, tem apenas 19 anos e o grande fenômeno da música brasileira da última semana, ganhando inclusive o prêmio de revelação musical de 2009 no troféu Melhores do Ano do Domingão do Faustão. Acha isso pouco? Então tem mais: ele tem mais de 100 mil seguidores no Twitter, 900 mil acessos no Youtube e 140 mil no orkut. Ainda não te convenci? Então olha isso: ele acabou de comprar um carro que custa mais de R$ 160 mil e descobriu a cura pra AIDS – não, péra, isso tá errado. Mas o garoto é de fato um fenômeno.

Só pra comparar: eu tenho 21 anos e tudo que tenho é um blog – que divido com outras três pessoas. Tenho 133 seguidores no Twitter, meu único vídeo no Youtube teve 458 acessos em 3 anos , ontem duas pessoas visualizaram meu Orkut e nunca fui capaz de tocar violão.

Luan Santana curtindo a vibe

Vou aproveitar o momento e colocar alguns comentários que chegaram no blog sobre o fenômeno:

“LUAN SANTANA LINDO EU VO NEM FUDENDO Q PERCO BEIJAO LINDAO!”

“LUAN SANTANA NOSSSSSSSSS TE AMAMS MTO MTO MTO MTO MTO MTO MTO MTO MTO MTO MTO
milhoes de beijosss e abraços a vc …… homem dos meus sonhosssss…….♥”

“eu sou fa numero 1 do luan santana eu nao perco de jeito nenhum beijos de sua fa numero 1
Gabriela e Larissa”

“Luuuan Santanaaa gentee \oo/ ‘ aee 07/05 ‘ O melhor :* ‘ eli éh lindo perfeito tem uma bunduna e o biquinho deli me conduz a uma vida nova :B”

“EU VOU NO LUAN SANTANA EU NÃO POSSO PERDER PORQUE SE EU NÃO FOR NO SHOW DELE EU DESMAIO”

“Ixi do Luan Santana nao perco por nada nesse mundo!!!Nem q me matem..kosaksoaasko
esse show eu num perco de geito nenhum”

“vcs tao de brincadeira oq seria melhor doque luan santana ele é o cara mais lindo desse mundo canta super bem vcs sao um bosta naum existe coisa melhor doque luan quewm odeia luan santana naum sabe oq é show de verdade que pitty é uma merda naum existe coisa melhor que LUAN SANTANA VAI TA PRA SEMPRE NO MEU CORAÇÃO ELE É LINDO TESAO BONITO E GOSTOSÃO O CARA MAIIIISSS LINDO DO MUNDO”

Acorde Universitário

Fiquem ligados músicos de araque plantão. Entre os dias 10 e 18 de maio, as inscrições pro festival de música brasileira da UEM, o Acorde Universitário, estarão abertas! Infelizmente, somente poderão participar alunos, professores e funcionários da instituição. Mas fica a dica para quem quer assistir.

Todos os inscritos passarão por uma seleção e as 30 melhores músicas serão apresentadas entre os dias 6 e 8 de agosto no Oficina de Teatro da UEM.

O prêmio para a música vencedora é de 2,5 mil reais! Vale a pena se arriscar…

Para conferir o regulamento do Acorde acesse o website www.uem.br/pec/dcu/acordeuniversitario3. O acesso estará disponível a partir da próxima semana. As inscrições serão aceitas pelo endereço eletrônico: acordeuniversitario3@yahoo.com.br. Outras informações na Diretoria de Cultura da UEM, fones (44) 3011-3878 e 3011-3880.