O fantástico túnel da UEM

A administração municipal realiza amanhã (07/02), às 08h30 no auditório Hélio Moreira, mais uma audiência “pública” com o objetivo de promover alterações no Plano Diretor de Maringá. Entre aspas porque no jeito pepista de governar as instâncias democráticas são meras formalidades. Tudo é ajeitado de forma que os desejos dos mandatários locais e seus brothers prevaleçam. Uma parte dos 515 cargos de confiança recém-contratados pela Prefeitura (cabos eleitorais pagos com dinheiro público) estarão lá, em horário de serviço, para votar a favor do chefe e sua turma.

Um dos assuntos abordados será o da transposição da UEM. A proposta de alteração da Lei 886/2011 sobre Diretrizes Viárias corta a UEM com prolongamento de vias em três pontos:

1) nas avenidas Duque de Caxias/Lauro Werneck;
2) na avenida Herval/Demétrio Ribeiro;
3) e entre o Hospital Universitário e a área da Agronomia, com prolongamento da Rua Ametista.

Se aprovado o projeto, parte da universidade será rasgada e algumas edificações da UEM demolidas. Haverá transtorno no campus com as obras e posteriormente com o fluxo intensificado de veículos. Assistir aulas e desenvolver pesquisas em um ambiente tumultuado não deve ser muito legal.

Francamente, o projeto é um delírio. Não resolve o problema do trânsito de Maringá. Ao contrário, a construção de novas vias incentiva ainda mais o transporte individual. A solução para a diminuição dos congestionamentos está na melhora do transporte público e condições adequadas para a utilização de meios alternativos (a bike, por exemplo), tal como acontece nas grandes metrópoles estrangeiras. No Brasil, infelizmente, carro representa status e busão é coisa de pobre. Sociedade desenvolvida é aquela em que o rico pode se dar ao luxo de deixar o carro na garagem porque o ônibus urbano é de qualidade.

Representantes da UEM e outras entidades organizadas confirmaram presença na audiência para rejeitar o projeto. O cidadão maringaense de bom senso tem que fazer o mesmo. Maringá não precisa de avenidas cortando um dos seus maiores patrimônios: a universidade pública.

Em defesa da Educação, da autonomia universitária e contra os interesses obscuros que rondam a obra malufônica – como tudo que envolve o conglomerado Barros – participe dessa luta. Quem puder vá ao Hélio Moreira e mostre aos que se consideram donos de Maringá que ainda existe vida inteligente por aqui.

Anúncios

Sem o horário das aulas, estudantes perdidos da UEM vão parar no Cesumar

O primeiro dia do ano letivo na Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi marcado pela desorganização. A Diretoria de Assuntos Acadêmicos (DAA) não providenciou o horário das aulas para os alunos. Muitos calouros não sabiam nem para que bloco deviam ir. Isso gerou uma grande confusão. Alguns estudantes, não tendo ideia da direção que seguiam, foram parar no outro lado da cidade: “Passei direto pelo campus da UEM e rumei para o Cesumar. Vi um local chamado Bloco 10, um monte de gente bebendo e achei que era do meu curso”, afirmou Camille Victoria Andrade, do primeiro ano de Direito.

Basílio de Paula Júnior, de Ciências Sociais, também se perdeu: “Já saí de casa preparado para a festa do primeiro dia, totalmente chapado. Quando fui ver, não deu outra: dei de cara com o comediante Mazaroppi. Depois me avisaram que aquele senhor era importante no Cesumar” – surpreendeu-se o calouro.

Aproveitando a falha da UEM, funcionários do Cesumar não perderam tempo e realizaram um trabalho de convencimento para angariar novos alunos. Com a ficha de matrícula nas mãos, Altair Guerreiro, de Medicina, optou por permanecer na instituição privada: “Não encontrei minha sala na UEM, atravessei a cidade e parei aqui, morrendo de sede. Por sorte os bebedouros daqui funcionam, ao contrário dos da UEM. Melhor do Paraná sem água gelada? Sei não…” – questionou.

A previsão é que os calouros da UEM tenham acesso ao horário e local das aulas só após o carnaval. Até lá, muitos estudantes continuarão perdidos pela cidade. As particulares comemoram. “Quem aparecer por aqui recebe 50% de desconto nas mensalidades e um lanchinho grátis” – anunciou o sócio de uma faculdade privada de Maringá.

cara-cade-meu-carro04

Cara, cadê meu horário?

Vida do Lukas

O Marcelo Bulgarelli, da Gazeta Maringá, informa que Camila Munhoz e Gustavo Lemos, estudantes de jornalismo do Cesumar, preparam um documentário sobre a vida e a obra do cartunista Lukas, falecido em agosto de 2011. O vídeo é o trabalho de conclusão de curso dos acadêmicos.

Interessante que o jornal onde o brilhante cartunista trabalhou por duas décadas não deu uma linha sobre o assunto. Preferiu noticiar isso e isso.

Calças polêmicas

O Rigon informou que uma garotada não pôde assistir aulas no Instituto Estadual de Educação de Maringá, na última quarta (2), porque não trajavam o uniforme completo do colégio, ou seja, faltava a calça. No Facebook, uma aluna do colégio justifica a ausência da roupa obrigatória:

 

Guarda armada na UEM

Wilson Rezende reivindica em seu blog:

“Arma de eletrochoque é uma arma capaz de liberar uma descarga elétrica a fim de imobilizar uma pessoa momentaneamente, constituindo-se assim como uma arma não-letal, hoje infelizmente vemos estudantes baderneiros, cachaceiros e traficantes dentro da Universidade Estadual de Maringá, portanto a UEM deveria seguir o exemplo da UFSC pois lugar de bandido não é na universidade e sim na cadeia, 99% dos alunos da UEM são honestos, lutadores, a minoria, ou seja 1% são os baderneiros e cachaceiros do Pstu que ficam tomando lugar de trabalhadores que poderiam estar na UEM.”

Wilson vibra!

Ocupação

Centenas de estudantes ocuparam a reitoria da UEM. O motivo do protesto são as promessas de melhorias do Restaurante Universitário que não foram atendidas e corte de verbas da educação efetuado pelo governo estadual. Felipe B., ex-autor do blog, está entre os manifestantes.

A Gazeta Maringá utilizou o termo “ocupação”. O Diário preferiu “invasão”.

Vestibular UEM: candidatos comentam as provas

“Prova? Sei lá. Só consegui prestar atenção naquele balão lindo”

Gessika Kristina Carvalho, 18, que fez a prova no Cesumar

“Tava sussa. Exceto pelo fato de que algumas respostas minhas deram um valor maior do que 100, sendo que o gabarito só aceitava dezenas e unidades. Sacanagem isso”

Matheus Felipe Bastos, 17

 “A redação sobre os idosos mostra que devemos respeitar as diversidades. Ah, moço, não esquece de colocar na matéria que diversidade é com cê cedilha, hehehe”

Pryscilla Suzane Rios, 17, mostrando que é boa de gramática

“Mano, que prova de matemática difícil! Arranquei os cabelos. Estragou meu moicano do Neymar”

Willame Prates Jr., 19, candidato de Engenharia Civil e santista roxo

“Fui mal pra caramba. Mas dá nada não. No próximo vestiba venho de novo tomar mais Crystal”

Alberto Caetano, 19, que teve problemas com a Lei Seca

Acorde Universitário

Fiquem ligados músicos de araque plantão. Entre os dias 10 e 18 de maio, as inscrições pro festival de música brasileira da UEM, o Acorde Universitário, estarão abertas! Infelizmente, somente poderão participar alunos, professores e funcionários da instituição. Mas fica a dica para quem quer assistir.

Todos os inscritos passarão por uma seleção e as 30 melhores músicas serão apresentadas entre os dias 6 e 8 de agosto no Oficina de Teatro da UEM.

O prêmio para a música vencedora é de 2,5 mil reais! Vale a pena se arriscar…

Para conferir o regulamento do Acorde acesse o website www.uem.br/pec/dcu/acordeuniversitario3. O acesso estará disponível a partir da próxima semana. As inscrições serão aceitas pelo endereço eletrônico: acordeuniversitario3@yahoo.com.br. Outras informações na Diretoria de Cultura da UEM, fones (44) 3011-3878 e 3011-3880.

Educação Financeira. Por que não poupar?

Desde o ano de 2007, em que cursei a disciplina de sociologia e atualidades no colégio Anglo Drummond de Maringá, surgiu em mim um espírito investidor e preocupado com a educação financeira. Graças ao meu professor de sociologia, Beto Mansur, comecei a me interessar pelas palavras empreendedorismo e investimentos.

O Brasil passa por um processo de evolução no capitalismo e, da mesma forma que os países que hoje estão no topo das economias do mundo, esta evolução nos trará a necessidade de procurar por novas alternativas de pervidência ao INSS.

Baixos níveis de mortalidade e natalidade fazem com que o país não tenha jovens suficientes no mercado de trabalho para bancar as aposentadorias, que já não conseguem acompanhar os reajustes dos salários. Esse cenário é favorável para os investimentos em previdência privada e otros tipos de investimentos. No último sábado, dia 17/04/2010, aconteceu no Teatro Marista, organizado pelo PET Economia da UEM, a segunda feira de finanças. O Maringá Maringá, semanas antes, fez um chamado para a feira e agradece à quem compareceu. Para aqueles que não puderam, trazemos aqui alguns dados interessantes.

O consumo exagerado sem a preocupação com o futuro é extremamente prejudicial e tende sempre ao fracasso financeiro. No nosso país, a cultura do cartão de crédito e o uso dos limites especiais etá se tornando cada vez mais comum e isso irá trazer grandes problemas para a classe média, que consome mais de forma menos prudente. Desta forma, proponho a seguinte prática:

Poupe antes de gastar!

Adquirir o hábito de pagar a si mesmo primeiro, como diria o escritor de best-sellers Robert Kiyosaki, é uma ótima forma de poupar. Claro que muitos afirmarão que é impossível poupar com os seus salários extremamente “pequenos”, porém, experimente listar todos os gastos com snacks no caminho para o trabalho, faculdade, etc. Uma economia de 3 reais por dia, considerando um mês de 30 dias, significa um montante de aproximadamente R$100,00 ao mês. Dependendo da modalidade de investimento que você preferir, esta quantia pode chegar a engordar de forma muito satisfatória sua aposentadoria. Prevendo a dificuldade de resistir a coxinha do bar do Zé ou o Halls de melancia, contabilize estes gastos e poupe logo no início do mês.

Investir na poupança, por exemplo, é um dos investimentos com menor rendimento (chegando a render apenas o ajuste da inflação muitas vezes). As outras modalidades de investimentos, em contraponto, exigem muito cuidado e estudo. Caso você escolha pela Bolsa de Valores, Previdência privada, CDBs e outros, preste muita atenção nas taxas cobradas pelas corretoras, seguradoras, bancos e afins. Esses caminhos envolvem muitas peculiaridades e, por este motivo, não entrarei em muitos detalhes sobre eles. Apenas alerto para que você não se aventure nesses tipos de investimento sem estudar as opções com muito cuidado. Lembre-se, é o seu dinheiro que está em jogo.

O risco está presente em qualquer investimento. Essa é uma verdade que costuma assustar os marinheiros de primeira viagem, mas eu alerto. Não investir é muito mais arriscado. Planejar seu futuro financeiro é vital para manter uma vida sem maiores transtornos e conseguir o merecido descanso quando a melhor idade chegar. Como diria o professor Augusto Sabóia, “Corra o risco de ficar rico!”

O mais importante disso tudo é que, quando a totalidade dos indivíduos de um país está rica, o país enriquece também.

Atenção vestibulando (2)

Encerrou na sexta, dia 17, o prazo para as inscrições do Vestibular de Inverno da Universidade Estadual de Maringá. Agora, com a ficha entregue e os noventa reais pagos, é hora do amigo vestibulando estudar como uma filho da p*** para as provas realizadas de 18 a 20 de julho. E para passar no vestibular vale tudo, até tirar dúvidas no Yahoo! Respostas:

É o CESUMAR ganhando mais um aluno.

BlogBlogs.Com.Br

Uma lei seca de argumentos

Imagine-se na seguinte situação: Depois de ralar muito tempo como empregado, você abre o próprio negócio – um bar próximo a uma universidade. O seu boteco sempre teve alvará e impostos pagos em dia. Jamais vendeu cigarros e bebidas para menores de 18 anos, nem mesmo deixava a molecada jogar sinuca. De repente, vereadores aprovam uma lei que proíbe a venda de bebidas alcoólicas nas proximidades das Instituições de Ensino Superior da cidade. O modesto bar, até então o sustento da família, agora não é mais viável e terá que fechar as portas.

A situação descrita, apenas hipotética para o leitor, é real para alguns comerciantes de Maringá que foram diretamente prejudicados com essa lei. Ao me posicionar contra a lei, convido-os a refletirem comigo a respeito de quatro questões pertinentes:

1) A incompetência do Estado para fazer cumprir leis já existentes. Para evitar “tumulto” nas ruas em torno das universidades, leis referentes a aglomeração de pessoas, som alto dos carros, entre outras, dariam conta do recado. Mas o Estado, carente de investimentos em segurança pública, não é capaz de fiscalizar o cumprimento de tais leis. A solução, então, é criar outros decretos proibitivos, afinal, proibir de uma vez é mais fácil (e mais barato) do que fiscalizar.

2) A Lei Seca só está a favor do conservadorismo. Os defensores da Lei Seca afirmam que trata-se de uma medida importante para proteger o jovem da violência e tirá-lo do mau caminho. Ao impor certos limites comportamentais, o Estado assume um papel familiar que não é dele. Em nome do conservadorismo, fatores econômicos são negligenciados. O dinheiro movimentado pelos estudantes universitários possui grande importância para a economia local, inclusive gerando muitos empregos.

3) A guerra declarada que o poder público trava contra os estudantes universitários de Maringá. Somos tratados como o grande mal da cidade. Conservadora e provinciana, a elite coronelista da cidade não aceita que os jovens, além de estudar e se preparar para o mercado de trabalho, também precisam de diversão. Relatos de abuso de violência policial contra estudantes se multiplicam. Enquanto isso, os verdadeiros problemas da cidade que afetam a população jovem – a criminalidade, o tráfico de drogas, o desemprego – estão muito longe de serem resolvidos.

4) A praticidade da lei. O município, agindo de maneira paternalista, “afasta” a comunidade universitária da bebida alcoólica, impondo uma distância de 150 metros da universidade para que um estabelecimento possa vendê-la. Detalhe é que, andando mais alguns metros, ela continua sendo vendida livremente.

Concluindo, a Lei Seca é antes de tudo anticonstitucional, pois proíbe a comercialização de um produto legal, que gera divisas e recolhe tributos. Não há como negar os malefícios causados pelo álcool, porém, medidas que restringem e proíbem o seu consumo em certas circunstâncias já estão em vigor. Proibir a venda de bebidas alcoólicas é um atentado a liberdade de dezenas de comerciantes cumpridores da lei e de estudantes maiores da idade que sabem dos seus deveres e limites.

ilustração: Carlos Emar Mariucci Jr.

Emir Sader na UEM

O professor Emir Sader, da UFRJ, ministra aula inaugural de extensão nesta sexta-feira (16/04), às 20 horas, no anfiteatro do PDE (bloco B-33). O evento encerra a programação de aulas magnas em comemoração aos 40 da Universidade Estadual de Maringá. Sader aproveitará para autografar o livro Brasil, entre o passado e o futuro, organizado por ele e Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais.

Mais informações no site da UEM.

Emir Sader em um momento Hilário Gomes: "estou sério sou sério".

Uningá, medicina e faculdades federais

Segundo o Diário, os alunos matriculados em medicina pela Uningá (que perdeu sua autorização do MEC para o curso de medicina) serão matriculados em faculdades federais! Livrando-se das altas mensalidades e ainda conseguindo um diploma muito mais interessante, na minha opinião!

A decisão está sendo tomada depois de muita briga na justiça e as aulas finalmente foram sunspensas pela juíza federal Daniele Maranhão Costa, da 5ª Vara do Distrito Federal.

Vai ter candidatos aos vestibulares de medicina MUITO BRAVOS com essa história…

fonte: O Diário

Restaurante Universitário pintadinho…

Quem nunca passou alguns minutos na fila do Restaurante Universitário da UEM no dia do frango frito, nunca reparou naquele pedaço de parede que tem em baixo da cantina… Pois bem, um arquiteto urbanista e artista plástico, chamado João César de Melo Santos, de São Paulo, fez uma obra bem interessante e embelezou nosso refeitório preferido. Maiores detalhes no site da UEM

Encontre Rodrigo C. na III Conferência Nacional do Esporte.

Rodrigo C., o mais famoso de nós quatro, foi fotografado na III Conferência Nacional do Esporte. Quem encontrá-lo ganha um autógrafo do Pinga Fogo e um abraço do Benedito.

Para quem está interessado:

“Começou hoje, em Maringá, a primeira etapa da III Conferência Nacional do Esporte, fase regional, promovido pelo Ministério do Esporte e Lazer. As atividades foram desenvolvidas na Universidade Estadual de Maringá. Nesta etapa, foram discutidas e aprovadas propostas futuras para ações do governo federal nas áreas de esporte e lazer, que serão encaminhadas para a Conferência Estadual, nos dias 4 e 5 de maio, em Curitiba.

O objetivo, explica o chefe regional da Paraná Esporte, Agnaldo Luiz Baldo, é elaborar diretrizes para o Plano Decenal do Esporte e Lazer, estabelecendo Linhas Estratégicas, ações, metas e prazos para o desenvolvimento do esporte e lazer no país nos próximos 10 anos.”

fonte: www.uem.br

2ª Feira de Finanças Pessoais de Maringá “Invista em seus sonhos”

Com o intuito de disseminar o conhecimento financeiro, o PET Economia, juntamente com o IPESE, realizará dia 17 de abril de 2010, no Teatro Marista a Segunda edição da Feira de Finanças Pessoais de Maringá.
Tomados pelo sucesso da feira de 2007, e buscando suprir a carência de um evento deste porte numa cidade com grande potencial econômico como Maringá, o PET Economia – UEM reuniu as melhores corretoras de investimentos junto a bancos e imobiliárias para promover um evento de qualidade.

Serão expostos todos os tipos de investimentos, como Ações, Mercado Futuro, Títulos Públicos, Fundos de Previdência, Investimentos Imobiliários, entre outros temas. Além de palestras de altíssimo nível, haverá um espaço reservado para exposição de empresas do setor financeiro, a fim de suprir todas as suas dúvidas pessoais.

A 2ª Feira de Finanças Pessoais de Maringá é uma excelente oportunidade para você tirar suas dúvidas com profissionais certos e experientes em investimentos, e ainda realizar negócios durante o evento. Venha e participe, o seu futuro começa HOJE! Aprenda a organizar sua vida e conquistar sua independência financeira.

Faça seu dinheiro trabalhar por você!

[Youtube=http://www.youtube.com/watch?v=IHIz-nmhnSM]

Mais informações: site da feira

Fonte: site da feira 🙂

Atenção vestibulando.

No dia 16 de abril se encerram as inscrições do vestibular de inverno da Universidade Estadual de Maringá. É a sua chance de passar no vestibular mais fácil do ano (pelo menos comparado com o de verão). As inscrições são feitas pela página do Vestibular da UEM ou, para facilitar a vida daqueles que não possuem acesso a internet, a universidade vai disponibilizar, na Biblioteca da UEM das 10 as 18 horas e em locais conveniados, computadores e impressoras.

Os locais conveniados são: Shopping Avenida Center – na Central de Atendimento, de segunda a sábado das 10 às 22 horas e aos domingos das 14 às 19 horas; e Shopping Maringá Park – na loja Espaço Maringá Park, de segunda a sábado das 10 às 22 horas e aos domingos das 14 às 20 horas.

A inscrição custa R$ 90,00 (quantos noventa reais custam o seu futuro?). O concurso conta com 1562 vagas (sendo 308 reservadas para o sistema de cotas sociais) em 48 cursos. Sua chance de parar de reclamar que só tem aquele seu emprego ruim por que não estudou igual o f@#$ da P$^% do seu chefe.

A ficha de inscrição devidamente preenchida, impressa, documentada e assinada deve ser encaminhada à UEM-CVU, no prazo estabelecido, podendo ser enviada pelo correio ou entregue pessoalmente na Central de Recebimento de inscrições do vestibular, na BCE, das 10 às 18 horas.

O interessante é que, neste vestibular se formará a primeira turma de Biomedicina da UEM. As provas serão aplicadas nos dias 18 a 20 de julho.

fonte: www.uem.br