Melhores da década: Osama bin Laden/Bim Bim

Carlão posta suposta foto de Bin Laden (ao lado), avisando que “não se sabe se é verdadeira ou montagem”. Poxa, Carlão!

A péssima montagem nos lembra de que Osama bin Laden se transformou em um mito contemporâneo. A imagem das Torres Gêmeas caindo, numa manhã de terça-feira, narrada pelo sisudo Carlos Nascimento, chocou o mundo e desencadeou um sentimento de paranoia e medo sem precedentes. Urgia apontar um culpado, encontrá-lo e puni-lo. Tal papel coube a Bin Laden, cuja morte encerra tardiamente um ciclo de quase uma década — a caçada quase sem sentido por um homem sem paradeiro que mobilizou exaustivamente todo um exército e dividiu a opinião pública mundial. Marca também, felizmente, o fim de uma guerra, que todos pensavam acabar com a eleição de um novo presidente nos Estados Unidos. Por outro lado, pode dar início a uma nova rodada, ainda mais cruel, de ataques terroristas, o que provoque reações à altura da Casa Branca. A captura do líder da Al Qaeda representava um objetivo a ser alcançado a qualquer custo, só que, agora, não se sabe ao certo como proceder e o que se seguirá. O fato é que este caso ainda está longe de um fim.

Excluindo a questão geopolítica, Bin Laden caiu no gosto popular. De máscara mais vendida nos Carnavais a personagem em quadro do humorístico Casseta e Planeta — “No Cafofo do Osama” –, o terrorista passou a fazer parte do imaginário das massas. Na região de Maringá, o folclore islâmico encontrou seu lugar na figura de Bim Bim, ex-vereador em Paiçandu. Pernambucano de Custódia, Adão Alves do Amaral saiu candidato à Câmara Federal pelo PMDB alguns meses depois dos atentados de Nova York. Na campanha, feita em grande parte no boca a boca, com santinhos em papel de má qualidade, ele usava da semelhança com o terrorista para causar riso e, assim, ser lembrado. Deu certo: conseguiu 4207 votos e uma suplência.

Em 2004, seria eleito vereador pelo mesmo partido, com 806 votos. Em 2008, entretanto, conquistou apenas 10 eleitores e foi encontrado morto em sua casa em dezembro de 2009, aos 68 anos.

Tanto Bim Bim quanto Bin Laden tiveram trajetórias parecidas na última década — causaram estranhamento quando ficaram amplamente conhecidos, conseguiram alguma audiência e a morte de ambos foi mal explicada. Seja no mundo ou só à beira da PR-317 vendendo frutas, eles nos marcaram de alguma forma e reinauguram a série Melhores da década.

Anúncios

Uma resposta em “Melhores da década: Osama bin Laden/Bim Bim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s