A moça do Daily Mail

Karen Etchebery. Na reportagem do último domingo no Daily Mail, conhecido tabloide inglês, reproduzida pelo tradicional periódico norte-paranaense, Karen e a amiga Patricia são definidas como “childhood friends from the relatively poor city of Maringa in southern Brazil” — numa bizonha tentativa de explicar por que as garotas se tornaram acompanhantes, há alguns anos atrás.

Desprezamos aqui o motivo. De qualquer forma, foi como acompanhantes que, segundo as próprias, elas se aproximaram do acusado de espancá-las, Mohammed al-Sanussi, sobrinho (sem consanguinidade, entretanto) do ditador líbio Muammar Gaddafi.

Em resumo: na época, Mohammed teria sido inocentado da acusação de espancar Karen e Patricia para que se evitasse um escândalo que azedaria mais uma vez as relações diplomáticas entre Reino Unido e Líbia. A British Petroleum assinara contrato de 900 milhões de libras para deter direitos de exploração de petróleo e gás no país — nacionalizados, ironicamente, por Gaddafi em 1971. Atualmente, a BP não tem extraído petróleo na Líbia, uma vez que seus funcionários deixaram o país em razão da onda de violência e a crise no governo. E, cinco anos depois, em ocasião oportuna, o caso das meninas maringaenses volta aos tabloides.

Anúncios

Uma resposta em “A moça do Daily Mail

  1. Se Maringá é “relatively poor”, o resto do país deve ser “totally fucked”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s