Melhores da década: Joba

“Seus filhos não são seus filhos. São filhos da vida”. Essa frase do poeta líbano-americano Gibran Kahlil Gibran, dita por Joba, ao som de Now we are free, da Enya, me dava arrepios — La la da pa da le na da na, ve va da pa da le na da dumda… Tempos depois, eu iria estudar no colégio que fez essa propaganda, onde ele lecionara. Sempre fui fã do cabeludo.

Bonecão do Joba na Av. Brasil, em 2004. Foto: Alcivio Vargas Neto

Nascido em 4 de julho — de 1952 — em Bariri, SP, João Batista Beltrame ganhou o apelido Joba de alunos do Marista Santa Maria de Curitiba. Cara estudadíssimo, foi seminarista e é formado em Filosofia, Pedagogia, História e Teologia, tendo participado do 1º Curso Superior de Parapsicologia no Centro Latino-Americano de Parapsicologia orientado pelo Padre Quevedo. Tem também pós-graduação em Filosofia da Educação, Gestão Pública e Ensino Religioso.

Marido da Maria Aparecida, Joba é  pai de cinco filhos — João Francisco, Lucila, Marina, Letícia Maria e Mayra. Foi ex-prefeito de Iguaraçu (1993-1996), ex-candidato a deputado estadual (6.915 votos em 1998 pelo PMDB), ex-vereador de Maringá (eleito com 1.715 votos em 2000 pelo PMDB), ex-candidato a deputado federal (primeiro suplente, com 29.066 votos em 2002 pelo PV) e ex-candidato à Prefeitura de Maringá (7.799 votos pelo PV).

Em Curitiba, lecionou na PUC, FAE, Colégio Marista Santa Maria, Colégio Medianeira, Colégio Bom Jesus e Colégio Bagozzi. Em Maringá, passou pelo Marista, Drummond, Objetivo, Regina Mundi, Santo Inácio, Escola Agmar dos Santos, Parque Avenida e Cesumar.

Pouco antes das eleições de 2004, o vereador aparecia na RTV com seus cabelos e barba mantidos longos desde 1984, quando esteve no Amazonas — pois é, Silvio, você não foi o único! — onde desenvolveu projetos missionários e viveu com índios apurinãs, palmoris e jamamadis. Vencedor de diversos festivais de música, cantava, ao lado de crianças na Praça da Catedral, a música de uma estrelinha e um cometa. Quem lembra?

Depois, lançou aquela em que cantava que Maringá era um “endereço famoso e gostoso”, usada em sua campanha à Prefeitura — marcada sobretudo por aqueles bonecões. “Quando a saudade doída bater de repente eu volto pra lá…” Quem lembra?

Depois da fracassada campanha de 2004, em que foi 6º mais votado entre 8 candidatos, Joba foi nomeado Secretário de Meio Ambiente e Turismo na Apucarana do padre Valter Pegorer. Sua relação com Maringá, sua cidade de residência, porém, continua. O secretário também foi  “mexer com o psicológico e motivacional” dos jogadores do Galo Adap através de palestras de incentivo. “Eu uso princípios da psicologia comportamental, parapsicologia, cantoterapia. É verdade! Eu canto com os jogadores”, revelou nosso heroi.

Por essas e outras, Joba é o cara e figura entre os melhores da década.

Anúncios

2 respostas em “Melhores da década: Joba

  1. Lembro quando era criança, e meu pai foi montar uma “Kombi de som” para a campanha do Joba. Eu tinha um pouco de medo dele, mas depois de uma tarde vendo o tiozinho trabalhar, achei ele batuta.

  2. Engraçado constar na página lançou a música “endereço famoso e gostoso…” quando candidato à prefeitura de Maringá, cuja letra é minha e jamais autorizei o seu uso. O tal Joba é useiro e vezeiro em apropriar-se de letras alheias e nao devolve-las. Coisa de mau político…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s