Perdi um emprego por causa da Ruth Lemos

Isso mesmo, amigos. Não é brincadeira. Ruth Lemos me fez perder um emprego! Lembram da Ruth Lemos? A nutricionista, sucesso do Youtube em 2005, porque se atrapalhou com o ponto eletrônico em uma entrevista ao vivo para a Globo de Pernambucano. Pra relembrar:

Pois vamos ao fato, ocorrido lá pelos idos de 2005, auge de notoriedade da Ruth Lemos e também do Jeremias. Então acadêmico do terceiro ano de Educação Física, um Supermercado de Maringá me chamou para uma entrevista. A empresa pretendia começar um programa de acompanhamento da saúde dos funcionários. Para isso, estavam contratando estudantes de Educação Física, Nutrição e Psicologia. Dois amigos da mesma turma também foram contactados. Como as entrevistas estavam marcadas para o mesmo horário, na sede administrativa do Supermercado, fomos juntos.

Aguardamos um pouco na recepção e logo apareceu a pessoa responsável pela entrevista, uma psicóloga. Entramos juntos na sala, eu e meus dois amigos. Ela começou apresentando os objetivos do tal programa:

“Nossa empresa sempre se preocupou com a saúde dos funcionários. A qualidade de vida pra gente é essencial. Por isso queremos dar início a esse programa, para melhorar ainda mais a qualidade de vida dos nossos empregados. Por que, vocês sabem, né? Não há nada mais importante do que a qualidade de vida. É pra isso que vocês estão aqui, concorrendo a essa vaga, pois trabalham com uma área que preza muito pela qualidade de vida…”

O resumo da ópera basicamente é esse: ela não parava de falar qualidade de vida! E, em casa, eu não parava de ver o vídeo da Ruth Lemos. E meus amigos também não, todos éramos viciados em bobagens internéticas. Começamos a olhar um para o outro, segurando as risadas. Sabe quando, de tanto segurar, começa a doer a barriga? Então, esse era o nível. Ela lá, falando qualidade de vida sem parar, enquanto na nossa mente só existia a Ruth Lemos gaguejando.

Teve uma hora que não deu pra segurar. Eu soltei uma risada, o outro camarada mandou mais uma, e a psicóloga – a essa altura do campeonato já achando todos loucos –  interrompeu e perguntou: “Algum problema, meninos?”. Eu me saí com a desculpa mais esfarrapada: “Não, sabe, é que tá abafado, calor e tal…”. E dei uma alongada nos braços. Aquilo realmente não fazia sentido. Estava me sentindo, sei lá, em um episódio de Seinfeld.

Depois dessa, conseguimos dar uma controlada no ataque de risos. Ela continuou a apresentação do projeto e, no final, conversou com os três separadamente. Na conversa individual, ela informou a todos que entraria em contato caso o nosso perfil estivesse de acordo com os padrões exigidos pela empresa. Obviamente, o Supermercado não ligou pra ninguém até hoje.

(Publicado no Maringá, Maringá em 29/01/2010)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s