Maringá, Maringá na bendita Boca

*Rodrigo C. e Gustavo T., de Curitiba

O presidente Lula esteve em Curitiba ontem, em comício que reuniu quase 30 mil pessoas na Boca Maldita. O comício, claro, não era da campanha dele, afinal, Luiz Inácio Lula da Silva não é candidato na próxima eleição. O presidente veio dar o seu apoio às candidaturas de Dilma Rousseff presidente, Osmar Dias governador e Gleisi Hoffmann e Roberto Requião senadores. Apoio muito bem-vindo de alguém com mais de 80% de aprovação. O ex-torneiro mecânico, como não poderia ser diferente, foi o centro das atenções.

Edson Lima não foi o único blogueiro d’O Diário presente nesta grande festa política. Rodrigo C. e Gustavo T., do Maringá, Maringá,  viram pela primeira vez ao vivo o presidente da República. E gostaram.

Os blogueiros do Maringá, Maringá chegaram na capital às 9 horas. Devido a segurança reforçada no local, enfrentamos uma extensa fila para chegar perto do palco, cravejado de candidatos à Câmara e à Assembleia Legislativa. O evento, marcado para começar às 10 horas, teve início com duas horas de atraso. Mesmo assim, nenhuma reclamação do público, sempre animado e agitando bandeiras de seus partidos e candidatos.

No comício, os discursos foram curtos e objetivos, de no máximo dez minutos, e nenhum deles entediou o público. Pessuti, Requião, Gleisi, Rocha Loures, Osmar, Temer e Dilma precederam o presidente Lula. “Bendita Boca!”, bradou Requião, no começo da sua fala. Todos tocaram em alguns temas comuns, como o fato de Orlando Pessuti, atual governador do Paraná, que abriu mão de sua candidatura para que a ampla aliança em torno de Osmar Dias fosse concretizada; a defesa dos professores e da educação pública de qualidade; a questão de gênero na sociedade brasileira, uma das grandes bandeiras da campanha de Dilma.

A candidata disse que os ataques do seu adversário, assim como foi com o presidente Lula em 2002, não surtirão efeito, e que mais uma vez a esperança vencerá o medo. Destacou os avanços do governo Lula que ela pretende dar prosseguimento e aprimorar. Entre os vários cartazes no público, um deles dizia: “Serra e Índio me lembram o Zorro e o Tonto”.

Osmar lembrou que, na eleição passada, Lula apoiou Requião e este o venceu por apenas 10 mil votos, e que agora estava muito satisfeito por ter o presidente em seu palanque. Inclusive, já aprendeu a chamar os petistas de “companheiros”. Requião, pouco antes, admitiu que ele e Osmar foram adversários políticos nas últimas eleições; porém, o mundo não começou nem acabou em 2006. Osmar coordenara sua primeira campanha, fora Secretário de Agricultura em seu governo, além de terem dividido as cadeiras do Senado pelo Estado do Paraná durante vários anos. É o jogo político.

Por fim, chegou o momento mais esperado da manhã: o discurso do presidente Lula, que brincou com Osmar, que ainda chora por causa do seu apoio decisivo a Requião na última eleição para governador. Lembrou que Requião não merecia este apoio, pois não compareceu no seu comício na Boca Maldita em 2006, e só falou de Requião porque Pessuti, o vice, ficava o tempo todo cutucando-o com a barriga proeminente. Pessuti, brincando, dava pulinhos com a barriga para frente.

Em certo momento, alguém do público gritou “eu te amo, Lula!”. Ele prontamente respondeu: “Não posso dizer o mesmo pra você porque, lá em Brasília, a Marisa vai ver, e eu vou ter problemas quando chegar na minha residência”. Ao falar das candidatas Dilma e Gleisi, ressaltou as qualidades das mulheres. “A Marisa só dorme quando todos os filhos chegam da balada”, lembrou, associando este cuidado com os filhos e o marido com a capacidade de administrar e governar um país. Sim, elas podem, foi o recado de Lula.

O presidente, em tom mais sério, disse que não esqueceu da oposição ferrenha que enfrentou no Senado, que, por vezes — citou o fim da CPMF e da verba desta contribuição que era destinada à saúde — votou contra só para prejudicá-lo. Defendeu a fidelidade partidária e mostrou-se contra o “candidato avulso”. Sobre relações internacionais, afirmou que ele foi o presidente que mais visitou a África e o Oriente Médio, ampliando as relações comerciais do Brasil nestas regiões.

Quase no fim, tocou em um assunto polêmico, que ganhou destaque na mídia: a mulher condenada a morte no Irã por traição ao marido. Fez um apelo ao presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad: “Se esta pessoa é um problema para o Irã, recebemos ela no Brasil de bom grado. Respeito a soberania de cada nação, mas o Estado não tem o direito de tirar a vida de ninguém”, dando a entender qual será a posição do Governo Dilma em relação a temas delicados como pena de morte e aborto. Porém, ressaltou a importância em dissociar a imagem de seu governo com o de sua possível sucessora. É preciso, segundo ele, um governo com a cara da Dilma, o que deve incluir mais mulheres chefiando Ministérios e Secretarias.

A capacidade de discursar do presidente Lula realmente é algo fora do comum. Com os olhos marejados, emociou o público em vários momentos, mas também arrancou risadas com aquelas tiradas que só ele é capaz de fazer. O presidente falou por aproximadamente quarenta minutos, mas poderia discursar por horas que todos continuariam atentos. A fala do presidente marcou o fim do comício, às 13h30. Voltamos pra Maringá contentes por, pela primeira vez, ter visto e ouvido o presidente mais popular da história do Brasil.

Em breve contaremos mais histórias, que incluem: como nossos pés foram esmagados por uma cadeira de rodas; como um chopp da Kaiser pode custar seis reais; como um palhaço descobriu ser filho de Rodrigo C.; como vimos o Oil Man com uma sunga cor-de-rosa em frente ao Teatro Guaíra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s