Campeonatinho mixuruco: Sim, nós podemos!

Pra encerrar a série de posts intitulada “Campeonatinho mixuruco”, sobre o grandioso torneio de futebol que não tem nem segundo turno, escrevo sobre a próxima Copa do Mundo, que será realizada no Brasil:

A COPA NO BRASIL: SIM, NÓS PODEMOS!

O Brasil sediou a IV Copa do Mundo FIFA em 1950. Naquele ano, a Copa voltou a ser realizada após um intervalo de doze anos, devido aos estragos provocados pela Segunda Guerra Mundial. A Europa, economicamente arrasada, não tinha condições de organizar o evento. O Brasil, impulsionado pela crescente popularização do futebol no país e com o apoio da mídia e políticos, assumiu essa tarefa.

Seis cidades brasileiras receberam os jogos: Belo Horizonte, Porto Alegre, São Paulo, Recife, Curitiba e Rio de Janeiro. O estádio Durival de Brito e Silva (Vila Capanema) foi o palco das duas partidas realizadas no Paraná. O Maracanã, maior estádio do mundo na época, foi construído especialmente para a Copa.

O campeonato mundial de futebol no Brasil foi encarado como uma oportunidade para o país provar para o mundo que era capaz de organizar um grande evento. Os editoriais da imprensa evocavam um espírito patriótico, nacionalista e civilizatório. O futebol tornou-se, definitivamente, um elemento referencial da identidade do povo brasileiro.

Daqui a quatro anos, o Brasil sediará a Copa pela segunda vez. O país, em pleno crescimento econômico, tem mais uma oportunidade de mostrar ao mundo sua capacidade de organização. Aliás, duas: em 2016, teremos os Jogos Olímpicos no Rio. Investimentos em infra-estrutura e arenas esportivas, através da parceria público-privada, podem proporcionar um legado inestimável.

Os derrotistas de plantão, é claro, não acreditam que uma nação que não seja européia ou os EUA seja capaz de tal proeza. Torcem o nariz para a Copa na África e os Jogos Olímpicos na América do Sul. Pré-julgam que dinheiro público será jogado no ralo. Só os países poderosos são eficientes, dizem eles. Pois eu plagio o famoso slogan e digo: Sim, nós podemos!

Podemos e vamos organizar grandes eventos esportivos, com muita responsabilidade na gestão dos recursos, gerando empregos e melhorias estruturais. A realização da Copa e das Olimpíadas podem caminhar juntos com o nosso processo de crescimento enquanto nação protagonista da nova ordem mundial.

Na próxima Copa em casa, temos boas chances de triunfar. Dunga não será mais o técnico e provavelmente Neymar e Ganso estarão jogando. Torcemos para que o final seja mais feliz que em 50, quando 200 mil pessoas choraram a derrota para o Uruguai no Maracanã.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s