Profissão: busólogo

Eu era um verdadeiro bus-addicted quando era criança. Qual não era a minha alegria em passear pelo antigo terminal, ver o ir e vir de pessoas de tantas cores, caras e cheiros; em descobrir uma nova linha numa cidade que parecia tão grande — como a 734 Parque das Laranjeiras (!) –; em ouvir o ronco do motor da 233 Guaiapó passando pela Rua Rio Capibaribe, e sair correndo na rua só para poder desenhar o ônibus de memória num caderninho.

Os ônibus exerciam grande fascínio sobre mim. Meu sonho de vida, durante um tempo, era ser motorista da TCCC. Dirigir pela cidade, abrir a porta, fechar a porta. Época boa — quanta inocência! A passagem custava menos de R$1,00; o terminal era fechado e o embarque se dava pelas portas traseiras; o Passe Livre do Estudante era cartela de passes destacáveis (dois por dia), que eram entregues ao cobradores, que prontamente os colavam, um por um, num panfleto das Casas Bahia com goma colocada dentro de uma embalagem de desodorante spray da Avon (!). O que dava a maior confusão, pois sempre havia quem estivesse com o passe do dia errado e tinha de descer pela porta da frente. Lembro-me bem do motorista da 233, seo Salvador; dos cobradores, o seo Gumercindo com seu bigode, e o Donizete, gente finíssima.

O tempo passou e meu fascínio foi diminuindo: os passes foram substituídos por cartões; os ônibus ficaram cinza; os cobradores foram extintos; o preço da passagem foi subindo e subindo e subindo; a última vez em que vi o Donizete, ele dirigia a 040 AABB sem sorriso no rosto.

No último dia de 2008, encontrei o blog do busólogo maringaense Victor Hugo Guedes Pereira. No dia seguinte, coincidentemente, foi ao ar uma reportagem no Paraná TV 1ª Edição sobre os busólogos.

Nostálgico!

Anúncios

7 respostas em “Profissão: busólogo

  1. Lembro que treinava futebol no brinco da vila e para voltar comprava os passes em um bar por oitenta centavos. Saudade!

    Parabéns pelo blog.

  2. Pingback: Pipocanet « Maringá, Maringá

  3. Pingback: Maio « Maringá, Maringá

  4. Muito bom o post. Aquela época era boa mesmo, pena que nada dura pra sempre.

  5. Pingback: Articulado « Maringá, Maringá

  6. Pingback: Lembranças da Expoingá « Maringá, Maringá

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s